quarta-feira, novembro 28, 2007

Veja meu Slide Show!

Imagens resultantes da digitalização dos diferentes tipos de furos realizados, o "crop" dos respectivos furos permitiu o cálculo do Diafragma utilizado nas diferentes Câmaras Estenopeicas. Mais fácil se tornou assim a determinação do tempo de exposição.

Veja meu Slide Show!



Clicando 2X no "slide show" acessará a uma apresentação melhorada.
Não deixe de fazer uma visita a esta apresentação


Óbidos, uma das sete maravilhas de Portugal representada através de algumas fotografias obtidas com uma câmara de fotografia instântanea Instax 200 da Fuji, adaptaptada para Fotografia Estenopeica.





Veja meu Slide Show!


Clicando 2X no "slide show" acessará a uma apresentação melhorada.Não deixe de fazer uma visita a esta apresentação

Veja meu Slide Show!

Fotografia Estenopeica "Estereoscópica"

Estas foram as minhas únicas experiências, espero repetir brevemente

Veja meu Slide Show!

quinta-feira, novembro 01, 2007

Projecto Pinhole


Uma Oficina de Fotografia Estenopeica (pinhole) dirigida a quem deseje praticar este processo alternativo de produção de imagem fotográfica.

Público-alvo: Interessados na prática da Fotografia Estenopeica com ou sem conhecimentos de Fotografia
Número Máximo de Inscrições: 15
Número de horas para Formação: 48
Horário da Formação: Sábados 10/13 - 14,30/17,30

Conhecimentos exigidos: Utilização de computadores

A Fotografia Estenopeica pela sua simplicidade técnica abre caminhos vários para a motivação
criativa do indivíduo bem como possibilita uma aproximação a diferentes aspectos do conhecimento: física da luz, formação da imagem e processo fotográfico são algumas das áreas abordadas ao longo deste curso dedicado à Fotografia Estenopeica (pinhole).

Esta é mais uma actividade do clube “Buraco de Agulha” e com ela pretende-se alargar o conjunto de actividades desenvolvidas no seio da instituição que lhe dá guarida e que tem sido razão da existência deste clube, o Instituto Português de Fotografia.
O Clube de Fotografia Estenopeica "Buraco de Agulha", surgiu por iniciativa do formador
António Leal e é uma actividade extra-curricular dirigida a actuais e ex-formandos
do Instituto Português de Fotografia.


Programa de Formação
Sessão 1
1. Apresentação do Módulo de Formação.
2. Pequena Resenha Histórica.
3. Bases da Formação da Imagem.
4. Introdução à Prática da Fotografia
Estenopeica.
5. Porquê Fotografar com Câmaras
Estenopeica
6. A Fotografia Estenopeica em Portugal
7. Construção de Uma Câmara Estenopeica.
8. Os Três Bês da Fotografia Estenopeica –
Barato – Bonito – Bom
9. A Oficina de Preparação de Uma Câmara
Estenopeica
10. Câmaras com Requinte
11. Lata de Biscoitos, Lata de Tinta uma Fácil
Opção.
12. Como Adaptar Objectos Simples Para a
Prática da Fotografia estenopeica
13. Pintura e Perfuração de Duas Vulgares
Embalagens
14. Controlo da Perfuração Obtida
15. Teste Prático das Câmaras Preparadas
16. Análise dos Resultados Obtidos
17. Câmara Fotográfica de Película? Adapte-a
à Fotografia Estenopeica
18. Adaptação de Algumas Câmaras
19. A Importância da “net” na Divulgação da
Fotografia Estenopeica
20. Como Controlar o Material a Utilizar
21. Alguns Calculadores Disponíveis na “net”
22. Recolha de Imagens Para Teste das “Latocâmaras”
Construídas ou Adaptadas
23. Tratamento Laboratorial
Sessão 2
1. Construção Avançada de Câmaras Para
Fotografia Estenopeica
2. Diferentes Tipos de Materiais Para
Construção
a. Madeira, Alumínio, K-line,
Cartolina, Acrílico
3. Tratamento do Interior de uma Câmara
Destinada à Fotografia Estenopeica.
4. O Sistema de Exposição
5. Projecto Individual – Preparação de um
Projecto Individual para a Construção de
Uma Câmara Estenopeica.
Sessão 3
1. Saída Para o Exterior
Sessão 4
1. Tratamento e Análise Crítica do Trabalho
Realizado na Sessão 4
Sessão 5
1. Projecto Individual – Apresentação de um
Projecto Individual para a Construção de
Uma Câmara Estenopeica.
2. Análise aos Projectos Apresentados
3. Alguns Aspectos Estéticos da Fotografia
Estenopeica
4. Diferentes Opções da Representação em
Fotografia Estenopeica
5. Como Aprofundar a Motivação Discursiva
na Fotografia Estenopeica
6. Fotografia Estenopeica Processo
Alternativo para Fotografia de Autor
7. Discussão de Um projecto Temático de
Trabalho
8. Construção de uma Câmara Estenopeica
9. Verificação e Controlo dos Diferentes
Projectos
10. Teste Prático das Diversas Câmaras
Sessão 6
1. Saída Para o Exterior
Sessão 7
1. Tratamento dos Trabalhos Realizados
2. Construção de uma Câmara de Grandes
Dimensões
3. Projecto Individual – Temático
4. Organização de Uma Exposição
Sessão 8
1. Tratamento dos Trabalhos Destinados à
Exposição

Formação de Dinamizadores de Fotografia Estenopeica


Dirigido a todos os interessados na divulgação dos vários aspectos da Fotografia Estenopeica uma Oficina de Formação de Dinamizadores. Quatro fins-de-semana de formação intensiva com um programa vasto e motivador.

Sessão 1
I –
1. Apresentação do Módulo de Formação
2. Pequena Resenha Histórica
3. Bases da Formação da Imagem
4. Introdução à Prática da Fotografia
Estenopeica
5. O “Porquê?” da Fotografia Estenopeica
6. O Desenvolvimento Actual da Fotografia
Estenopeica
7. A Fotografia Estenopeica em Portugal
8. Artistas da Fotografia Estenopeica
9. A Importância da Fotografia Estenopeica
no Contexto Sócio-cultural/Sócioeconómico



II –
1. Estrutura de Um Projecto para Jovens
2. Como Motivar a Prática da Fotografia
Estenopeica
3. Fotografia Estenopeica – Uma Oficina
Segura
4. Os Três Bês da Fotografia Estenopeica –
Barato – Bonito – Bom
5. Adaptar o Simples à Prática da Fotografia
Estenopeica
III –
1. Lata de Biscoitos, Lata de Tinta uma Fácil
Opção
Sessão 2
I –
1. A Importância da “net” na Divulgação da
Fotografia Estenopeica
2. Fotografia Estenopeica – Que Discussão –
Que Motivação (“Provocação Dirigida aos
Intervenientes)
3. Alguns Aspectos Estéticos da Fotografia
Estenopeica
4. Diferentes Opções da Representação em
Fotografia Estenopeica
5. Como Aprofundar a Motivação Discursiva
na Fotografia Estenopeica
6. Fotografia Estenopeica Processo
Alternativo para Fotografia de Autor
II –
1. Câmara Fotográfica de Película? Adapte-a
à Fotografia Estenopeica
2. Adaptação de Algumas Câmaras Para Mais
Rápida Motivação de Futuros Praticantes
3. Construção Avançada de Uma Câmara
Estenopeica
4. Como Controlar o Material a Utilizar
5. Alguns Calculadores Disponíveis na “net”
6. Analisar Resultados
III –
1. Construção de uma Câmara de Grandes
Dimensões
2. Projecto Individual – Temático
3. Produção de um Projecto de Trabalho em
Grupo
4. Definição do Projecto de Grupo e seu
Âmbito
5. Avaliação da Exequibilidade das
Possibilidades de Execução de um Projecto
6. Definição de uma Acção Programada de
Fotografia Estenopeica em Exterior
Sessão 3
I –
1. Realização de Uma Acção Programada
2. Tratamento do Material Produzido
3. Análise dos Resultados Obtidos
Sessão 4
I –
1. Apresentação da Proposta de Grupo
2. Entrega e Discussão Final do Projecto de
Grupo
3. Entrega e Apreciação do Projecto
Individual Temático
4. Entrega e Discussão Final do Projecto de
Grupo
5. Entrega e Discussão Final do Projecto
Individual
6. Análise Crítica
7. Organização de Uma Exposição